domingo, 17 de julho de 2011

Então me deparo olhando para a folha sem saber o que escrever, eu já não sei como começar, ou como te dizer tudo o que está acontecendo. Bem, eu poderia dizer que admiti coisas em voz alta que jamais te diria; como um dia não tive coragem de lhe dizer os sentimentos que guardei, de que seguir em frente sempre parece à melhor escolha.


Poderia reescrever sobre os caras legais que conheci, mas então você riria. Estou cansada de escrever sobre os momentos maravilhosos juntos, de coisas que não irão voltar. Você não vai voltar ser quem você era, nem eu.

Como eu queria que fosse fácil me apaixonar por outros garotos, e que nisso a felicidade me encontrasse ali na esquina. Mas estou presa nessa montanha russa de uma maneira, que eu não consigo sair. Então eu me sinto triste, porque eu estou gastando meu tempo com nada.

Você é tão seguro desse amor, que sabe que estou com medo de tentar começar algo novo. E você sabe também, como eu tenho ferido as pessoas por sua causa. É claro que eu ainda o amo, que ainda penso todo dia como seria maravilhoso escrever uma história com você, mas então lembro que essas pequenas demonstrações de afeto não significam a mesma coisa para ambos.

Um dia, talvez, você perceba que o tudo o que eu lhe disse sempre foi real, e nesse mesmo tempo espero ter a chance de sentir que tudo valeu à pena. Porque agora, eu não sinto que esse amor deve durar. Os finais felizes são para contos de fadas, e não para pessoas como nós dois.

Eu seguirei esse caminho sozinha, e talvez na em uma dessas curvas da vida, eu ache a estrada que me leve para onde você não possa me afetar mais. Nunca mais...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Em meio toda essa bagunça do meu coração, eu decidi tentar explicar para alguém o quanto eu gosto dele. Talvez seja porque quando ele me abraça, o mundo parece estar fluindo na mais perfeita ordem. Ou seja pela voz, que com qualquer coisa boba e cotidiana me faz rir.


Eu realmente não sei o que ele tem que me faz pedir toda noite que um dia, ele fique eternamente em meus braços. Então, com aquele sorriso meigo, eu acho força para lutar por todos os meus sonhos. Se um dia eu achar um meio, eu quero acordar desse sonho.

Posso chorar e sofrer, mas basta um abraço para tudo ficar bem. Diga-me, apenas diga como deixar seu mundo ir embora sem ao derramar algumas lágrimas? Como não sentir o vazio que se espalha enquanto seus braços imploram por mais dez segundos?

Amá-lo é irracional, mas o que eu posso fazer? É cada célula do me corpo que se agita quando eu o vejo. Por isso, é difícil seguir em frente do meu melhor sono, aquele que desejava nunca acabar.