domingo, 9 de janeiro de 2011

Eu achei que depois de tanto tempo longe de você, todos meus sentimentos mudariam. Eu acreditava com todas as minhas forças que depois de tantos anos eu encontraria alguém que me faria sentir melhor do um dia você me fez sentir. Mas essa vontade de te ter ao meu lado quase nunca passa. Daí eu penso em te escrever um e-mail, te telefonar, qualquer coisa, mas então eu desisto.
Eu começo a imaginar como está indo sua vida, se você se apaixonou por outro alguém... mas então eu espanto esses pensamentos, porque é doloroso demais imaginar que vai ser outra pessoa que estará em seus braços, que vai ouvir de você todo dia que é ela quem te faz feliz. E às vezes eu faço a besteira de pegar uma foto nossa, e lembro-me de quando ela foi tirada e como eu sinto falta de você sentar ao meu lado e dizer mil coisas e, eu ficar te observando como aquilo fosse a melhor coisa do mundo. Então, eu fico com raiva de mim mesma por me importar tanto com você sendo que você já nem se importa com nada que deixou para trás.
Surge em mim a vontade de rasgar todas as fotos, queimar todas as lembranças, excluir nossas conversas, e até deletar as músicas que me lembram você, e então eu desisto de novo. Também penso em parar de escrever sobre você, mas, por mais que eu odeio admitir, você foi uma das melhores pessoas que eu conheci na minha vida. Então começo a me interrogar e tentar achar o motivo de tudo ter dado errado. É tarde demais para tentar achar culpados ou buscar mais sofrimento, só está na hora de seguir em frente.

Nenhum comentário: